Eu admiro Bill Gates. Se eu pudesse votar para a Personalidade do Ano todos os anos, Gates teria o meu voto. Deixe-me explicar o porquê.

A alguns anos atrás, Gates fez uma transição importante e potencialmente difícil, aos 52 anos, deixando a posição de CEO da Microsoft e dedicando-se cada vez mais a parte do seu tempo e energia para a Fundação Bill e Melinda Gates. É uma mudança de foco, passando de definição da estratégia da Microsoft para uma estratégia mais ampla para melhorar a vida dos mais necessitados ao redor do mundo.

De muitas maneiras, Gates representa “o melhor de nós” – não é só o que ele está fazendo, mas como ele pensa sobre o que ele está fazendo. Ele é um geek curioso, ele quer encontrar problemas interessantes para resolver. Ele acredita que pessoas inteligentes e auto-motivadas trabalhando juntas podem fazer a diferença. Bill Gates reflete as melhores qualidades de uma geração que cresceu procurando por formas inovadoras para se aplicar a ciência e a tecnologia para impactar a nossa vida cotidiana de forma  predominantemente positiva.

O foco principal da Fundação Gates tem sido a de explorar formas de reduzir as doenças comuns, tais como a malária e o rotavírus que afetam a maioria dos pobres no nosso mundo. Aqui está uma seção de uma carta de Bill e Melinda Gates.

Mais de uma década atrás, Bill e Melinda leram um artigo sobre as milhões de crianças que morriam a cada ano nos países pobres devido as doenças que foram eliminadas há muito tempo nos países desenvolvidos. Uma doença que nunca tinha sequer ouvido falar, o rotavírus foi literalmente matando meio milhão de crianças a cada ano. Nós pensamos: Isso tem que ser um erro de digitação. Se uma única doença que estava matando muitas crianças, teríamos ouvido falar dele, porque ele teria sido notícia de primeira página. Mas não foi um erro. Nós não poderíamos fugir da realidade brutal no nosso mundo de hoje, algumas vidas são vistas como vale a pena salvar e de outros não. Nós dissemos a nós mesmos: “Isto não pode ser verdade, mas se é verdade, ela merece ser a prioridade da nossa doação.”.

O engajamento deste grande homem comprometido com o melhor dos esforços para com a Fundação, o faz um líder diferenciado em todos os aspectos. Ele percebe que ele está em uma posição especial para ver problemas como o descrito acima e formular um plano apoiado por recursos para fazer algo sobre isso. No entanto, ele não se vê transversalmente como um benfeitor. O que o excita é sobre o mundo sem fins lucrativos que é semelhante ao que ele gozava na Microsoft – encontrar e trabalhar com pessoas inteligentes que estão realmente engajadas em questões e problemas.

Tanto quanto eu aprecio os objetivos da Fundação, encontrei-me em admirar Bill Gates como uma pessoa durante os últimos anos de minha vida. A verdade é que enquanto ele estava trabalhando no desenvolvimento de software, ele também trabalhou no desenvolvimento de si mesmo. Ele evoluiu para um modelo e um líder, sendo atencioso e educado em uma versão mais jovem teria sido imprudente e impetuoso.

Outro motivo que eu olho para o Bill Gates é porque, embora ele pudesse gastar toda sua fortuna em coisas inúteis, ele não fez. Ao invés disso, ele gastou em alimentar as crianças com fome na África, doar dinheiro para ajudar a cura da AIDS, e doando dinheiro para escolas que precisavam implementar a tecnologia aos seus alunos.

Embora ele próprio usufruiu do dinheiro que ele fez, ele ainda está tentando fazer do mundo um lugar melhor. Eu acho que se pararmos por apenas um segundo e considerarmos o que Bill Gates tem como plano para os grandes problemas do nosso mundo, e se fizéssemos o mesmo com os recursos que temos, acho que o mundo seria um lugar muito melhor. Gates, que me dá esperança num momento em que as pessoas encaram o trabalho afim de obterem somente ganhos materiais, tendo como pessoas inspiradoras, líderes que não são líderes. Confesso que Gates é diferente. Ele merece admiração genuína, na minha opinião. Ele é mais do que um tecnólogo focado nos maiores problemas ao redor do mundo. Ele é um tanto realista e otimista.

O retrato que fica aqui, não é a marca “Bill Gates” e sim do ser que se tornou um líder mundial e um homem singular.

Anúncios